quarta-feira, 24 de abril de 2013

PETER WILLIAM HAM - 1947 / 1975

Estou repetindo essa postagem para dizer para um tal de Sergio Luiz Fernandes, que o nome do artista é Peter William Ham e não "Wiliam Pete Ham". E ainda que, por maior que fosse seu talento, nunca poderia ser comparado com os de John Lennon, Paul McCartney e George Harrison. Ok, my gay? Espero não lhe ver novamente por aqui assinando como "anônimo"! "I know who you are". Em que música de Badfinger aparece isso?
Há exatamente 38 anos, no dia 24 de abril de 1975, uma tragédia de proporções catastróficas decretava o início de uma maldição de uma das bandas mais espetaculares que já desfilaram pela passarela do Rock: BADFINGER! Naquela noite, Peter William Ham – fundador, líder, cantor, compositor e excepcional guitarrista da banda, encerrou a própria vida enforcando-se na garagem da casa onde vivia com a namorada que estava grávida de oito meses. Guardadas as devidas proporções, PETE HAM tinha para o Badfinger, a mesma importância que John Lennon tinha para os Beatles. Sem ele, tudo era impossível. É muito difícil tentar explicar a história dessa banda resumidamente, por isso, precisaria ser um ‘especial’ enorme (que já houve, quando completamos 2 anos e foi a postagem nº 1000 do Baú). Partes desse especial (a parte 3 desapareceu misteriosamente), podem ser conferidos no link: http://obaudoedu.blogspot.com.br/2010/08/especial-badfinger-postagem-n-1000.html Ninguém espere que os links para download ainda estejam funcionando... é quase certo que não estão! 
 Peter William Ham nasceu no dia 27 de abril de 1947, em Swansea, Wales, Inglaterra. Começou a tocar ainda menino. Cresceu vendo a onda da Beatlemania chegar! Com 16 anos, conheceu Mike Gibbins e juntos formariam a base do que dois anos depois seria “THE IVEYS”. THE IVEYS foram para Londres e apadrinhados pelos próprios Beatles, mudaram o nome para BADFINGER. Tom Evans entrou. Joey Molland entrou. Finalmente a banda tomou sua forma clássica. O sucesso veio com “COME AND GET IT” de Paul McCartney no primeiro ábum e não parou mais. Logo depois explodia “NO MATTER WHAT” nas paradas inglesas, americanas e para todo o resto. Em seguida, mais sucessos: a indescritível e bela “WITHOUT YOU”, “BABY BLUE”, “ “I’D DIE BABY” e a maior de todas – “DAY AFTER DAY”. Depois de trocarem de empresário, de gravadora e assinar um contrato milionário, descobriram que haviam sido enganados. Tinham perdido tudo! Depois disso, a banda ainda rastejou por uns dois anos produzindo clássicos que, apesar de não terem sido lançados na época, hoje tem um valor inestimável. Mas o fim já estava sacramentado desde a morte de Pete. Era apenas o começo da trágica história dessa banda maravilhosa. Que, sabe-se lá porque, talvez até por causa do suicídio de Pete, e consequentemente o de Tommy (nas mesmas circustâncias) foram "banidos" e "apagados da história do rock. Não da minha.

6 comentários:

João Carlos disse...

Não foram banidos EDU. É burrice e incompetência mesmo.Até quando estouraram, não lembro de nenhuma referência séria à banda.Talvez por serem da Apple.Uma forma velada de ignorar os Beatles via Apple!

Valdir Junior disse...

Um dos caras que muito admiro !!!
Se tivesse conseguido resistir a enxurrada de porcaria que sobrou para eles ,poderia ter nos agraciado com outras maravilhas !!!

Pete Ham Forver !!
No Matter What !!!
Badfinger Booguie !!!!

Luis da Silva disse...

Realmente Badfinger é uma das bandas que eu admiro muito,o que aconteceu com Peter e Tommy foi uma tragédia terrível,e acabou com uma das melhores bandas do rock.

Anônimo disse...

Quando conheci a obra de Pete Ham, os outros artistas ficaram menores e menos expressivos.

Anônimo disse...

Quando tomei conhecimento da obra de Pete Ham, os demais artistas ficaram menores e menos expressivos.

Anônimo disse...

Quando tomei conhecimento da obra de William Pete Ham, os demais artistas ficaram menores e menos expressivos.