quarta-feira, 24 de abril de 2013

A INDÚSTRIA DA MORTE AINDA É PODEROSA!


Já se foi o tempo em que o cigarro era visto como um produto inofensivo e que proporcionava elegância, distração, conforto e um prazer incontestável, que até hoje, só os fumantes ativos podem descrever com maior precisão. Entre as décadas de 20 e 50 era comum observar nas propagandas de indústrias de cigarros, estratégias de marketing que induziam as pessoas a utilizarem cigarros, tais estratégias tinham como foco principal os jovens, que eram considerados pelas indústrias tabagistas como potenciais consumidores desta arma silenciosa e mortal. Pesquisas comprovam que o consumo regular de cigarros vem provocando a morte de mais de 50% dos seus consumidores e que 7 pessoas morrem por dia no Brasil, em decorrência do consumo passivo de cigarros (fumantes indiretos que inalam fumaça dos fumantes ativos). As pessoas que hoje morrem, com certeza foram influenciadas de uma forma ou de outra pelas propagandas levianas de cigarros da época. O tabagismo é um problema de saúde pública e ao mesmo tempo, funciona como uma ferramenta de alavancagem econômica através dos milhões e milhões de reais gerados anualmente pelas indústrias de cigarros, ou seja, gerados pelas Indústrias da Morte. Quando será que o poder público brasileiro irá encarar o tabagismo como um problema de saúde pública? Embora o Estado tenha arrecadação relativa ao imposto sobre o cigarro, o custo social do cigarro é muito maior. Os planos de saúde pública são obrigados a arcar com o ônus das doenças provocadas pelo uso de cigarros, além dos próprios usuários, que além de pagarem impostos muito elevados para utilizarem a droga, ainda tem que arcar com tratamentos de saúde resultantes do uso de cigarros, e que não são cobertos por planos de saúde. O ideal é que, ao se comprovar que a doença foi provocada pelo cigarro, o Governo tivesse que arcar com as despesas. Mas antes de tudo, o principal passo é a conscientização da população em relação aos malefícios do cigarro, evitando assim, que novas pessoas sejam fisgadas pelas Indústrias da Morte e se tornem dependentes químicos desta poderosa arma mortal, que é o cigarro.

4 comentários:

João Carlos disse...

Um fumante como eu ler isso... fazer o que ?

Edu disse...

O ser humano realmente é o bicho mais burro do universo! Como pode uma gestante fumar durante a gravidez??? Também sou fumante "grupo-de-risco" amigo JC, e já atingi a terrível marca de 60 cigarros por dia... estamos no sal!!!

Valdir Junior disse...

Infelizmente meu pai é completamente dependente dessa porcaria !!!
2 maços de cigarro por dia e não quer parar de jeito nenhum !!!
As campanhas de conscientização são ridículas , não adianta ficar colocando aquelas fotos horríveis nos maços , só quem não fuma se preocupa e se assusta com aquilo !!

E aí Edu , JC tentem largar essa porcaria !!!

Luis da Silva disse...

Meu caro amigo Edu e Joao Carlos,tambem fui fumante durante 20 anos da minha vida,e hoje passados tres anos sem essa maldita droga lícita,eu ainda nao me sinto bem ,tenho as vezes crises respiratórias terriveis e as vezes me parece que eu vou morrer.portanto gostaria de deixar aqui meus sincero desejo como pessoas sensatas que voces sao,de largarem o vicio o quanto antes pois a nossa vida é muito frágil e passa muito rápido abraços meus amigos ,espero que nao se ofendam com a minha critica pois eu sofri demais com o vicio e nao gostaria de ver pessoas boas como voces se perderem.