terça-feira, 5 de julho de 2011

THE BEATLES - BACK IN THE USSR

"Back in the U.S.S.R." é uma canção dos Beatles lançada no álbum The Beatles ou Álbum Branco, de 1968. Foi composta por Paul McCartney e creditada à dupla Lennon & McCartney. McCartney conta que sempre ouvia americanos que viajavam reclamarem da saudade do fast-food, dos donuts e das lavanderias automáticas, então, ele resolveu narrar o inverso: um russo saindo de Miami e voltando para sua pátria, a União Soviética. Ele usou harmonias típicas dos Beach Boys em "California Girls" e da surf music, algo bem americano. Percebeu então que a sigla em inglês da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, que era USSR, continha a sigla dos Estados Unidos da América, US, e aproveitou-se disso para fazer uma paródia a canção "Back in the U.S.A." de Chuck Berry, em um ponto da música ele canta: "Back in the US, back in the US, back in the USSR" para deixar clara a brincadeira. A canção abre e fecha com um som de jato que se refere ao retorno de Miami Beach nos EUA à “União das Repúblicas Socialistas Soviéticas” (em inglês, "U.S.S.R."). Na letra, é possível ver a satisfação de se retornar ao país: "the Ukraine girls really knock me out" e "Moscow girls make me sing and shout" (“As garotas da Ucrânia me deixam louco” e “As garotas de Moscou me fazem cantar e gritar”). Outras referências à União Soviética são o trechos “show me round your snow peaked mountain way down south” (“me mostre a neve no topo das montanhas do sul”) e “let me hear you balalaika's ringing out” (“me deixe ouvir sua balalaica tocar”). A letra também contém uma referência à música de Hoagy Carmichael, "Georgia on My Mind": o trecho “And Georgia's always on my mind” pode ser interpretado como “E a Geórgia está sempre na minha mente” ou “E (as garotas da) Geórgia sempre (estão) na minha mente”, pelo trecho a seguir: "come and keep your comrade warm" (“venha e mantenha seu camarada aquecido”). A brincadeira relacionando as superpotências da Guerra Fria continua, pois a canção "Georgia on My Mind" refere-se justamente ao Estado americano da Geórgia. Em entrevista para a revista Playboy em 1984, McCartney disse: “Eu tinha consciência de como a União Soviética enxergava a música inglesa e como essa música seria mal interpretada pelos chefões do Kremlin, porém a molecada gostava, e isso me fez perceber o quanto aquilo era importante.” Em "Back in the U.S.S.R.", é o próprio Paul quem toca a bateria, porque em 22 de agosto, Ringo havia abandonado o grupo devido ao clima pesado nas gravações. McCartney também toca piano e guitarra (num dos seus solos mais fantásticos!). John aparece nos vocais de apoio, guitarra base e palmas. O baixo ficou com George. Ringo retornou duas semanas depois, após um pedido de desculpas dos outros Beatles com flores lhe esperando, espalhadas por toda bateria.

4 comentários:

Alysson Vitorino disse...

Edu, poderia, eu disse poderia, também não ser uma dualidade de referência, já que a Geórgia (país)fazia parte da União Soviética?

Valdir Junior disse...

Um Rock and Roll poderoso !!!
Bateria e Guitarras muito bem gravadas !!!
Não dá para não dançar com essa musica . Alem disso os Beatles
sempre pensavam num mundo livre onde todos poderiamos ir e vir sem muros que separesem as pessoas , onde todos são iguais a todos no resto do mundo com orgulho, lembranças, saudades de suas casas,familia, amigos e amores !!!

João Carlos disse...

O Album Branco me pegou pelo pé logo que esta música começa e termina se juntando com Dear Prudence.Realmente,uma viagem.

RafadeOliveira disse...

Back in the USSR é uma música tão legal, muito boa mesmo. E eu nem sabia dessa música Back in the USA que você falou rsrs, mas vou procurar ouví-la para ver a semelhança.

Bjs
Rafa
rafadeoliveira-tudosobrequalquercoisa.blogspot.com